domingo, 13 de maio de 2018

Dia das mães

Esse dia das mães foi muito especial pra mim. Acho que porque você já está mais atento, entendendo mais as coisas, quis preparar uma surpresa para mim. Você é o papai foram comprar presente enquanto a mamãe passeava com o Fefe ontem. Mas hoje fui surpreendida com flores, café da manhã na cama, uma roupa escolhida por você e o papai, algumas cervejas e um presente que vc fez a mão na escola. Fiquei muito emocionada!


Depois fomos naquele parque que tem os desafios e você dessa vez aproveitou muito mais. No desafio de equilíbrio você disse:
- Essa é a coisa mais difícil do meu mundo!
Achei demais essa frase...
Ontem foi muito engraçado. Fomos assistir ao show dos Beetles, uma banda cover dos Beatles argentina. Foi bem legal. Levamos o Rafa junto e ele curtiu muito.
No caminho vcs foram conversando...
R: quando a gente morre vai pro Céu.
J: lembra que eu já te expliquei que quando a gente morre a gente vira pó e vai pra natureza?
R: sim... Mas a minha mãe diz que quem se comporta vai pro Céu e eu acredito nisso.
J: sim... E quem não se comporta vai pro inferno. Lá tem lava... Vc tem medo de lava?
R: tenho...
J: eu também... E quem se comporta mais ou menos vai pra natureza!

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Vida de mãe

Este final de semana eu assisti a uma série chamada The letdown, ou turma do peito, como foi traduzida, indicada pela tia Cami, que trata da maternidade, especialmente a parte mais complicada dela. Eu sempre digo que não vai ter coisa mais complicada que vou fazer na vida como ser mãe. Eu me identifiquei com quase tudo o que estava lá ao longo dos 7 episódios da primeira temporada. Fiquei imaginando como seria se eu tivesse assistido no meu primeiro ano de mãe. Talvez não me sentisse tão sozinha, tão perdida de mim mesma, tão exausta, tão sensível, tão assustada, tão exigente comigo mesma... Ou talvez continuasse sentindo tudo isso mas pelo menos teria rido um pouco de tudo isso.

Tem uma cena, no primeiro ou segundo episódio, em que ela entra no ônibus, com a sua bebê no canguru, e chora. Chora por perceber que está há anos luz de seus antigos amigos, que aquilo que gostava de fazer com eles se tornava outro mundo, que não havia mais empatia entre eles pois eles ainda não sabiam nada desse seu novo mundo e por isso chorou. E enquanto estava lá, mergulhada em sua dor, de repente, seu olhos se cruzaram com os olhos inocentes e apaixonados de sua bebê por ela e então ela foi tomada por um sorriso, e um amor, misturado com choro, em que tudo pareceu se dissolver.

Para mim, a maternidade se resume a esta cena, over and over again. O profundo desamparo da mãe se sobrepõe holográficamente ao amor que sente pelo seu bebê e a força que encontra neste amor para defender aquela pequena criatura de tudo...E, então, de novo, o desamparo.

E assim tem sido há quase 7 anos, acompanhando o seu crescimento e agora o do seu irmão, em paralelo, não me recupero dessa montanha russa emocional que é a maternidade, será que tem cura?

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Tio Nicolas

N: Posso te falar umas coisas perturbadoras?
J: Pode...
-N: Você sabia que tem mais ou menos umas três milhões de baratas debaixo da terra?
J: Sabia... Se você pegasse uma de bicho de estimação você não ia saber qual é a sua...

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Papo serio antes de dormir.

-Era para o Eduardo morar a vida toda na Espanha mas ele morou só três anos e voltou.
- É, e ele continuou seu amigo.
- E ele me lembrava ainda. A gente gosta muito da gente mesmo. Tipo, ele gosta de mim e eu gosto dele. E ele gosta dele e eu gosto de mim!

<3<3<3

quarta-feira, 14 de março de 2018

segunda-feira, 12 de março de 2018

O tempo passa...

... e quase não dá tempo de registrar todas as coisas incríveis que você diz...

Você está crescendo, é super sociável desde sempre, tem muitos amigos. Hoje me perguntou se no seu aniversário vc podia convidar umas duzentas pessoas! Rs

Na escola está indo super bem, está com uma fluência na leitura e tem uma facilidade danada pra matemática. Você saca as coisas rápido e sempre diz coisas divertidas.

Você e seu irmão tem ficado cada vez mais afinados, você tem achado fofinhas as coisas que ele diz e faz.

Vc tá numa fase de tiros e nerfs e videogame. O problema é que quando joga esses jogos de tiros fica irritado depois. Um dia desses teve um show de braveza na hora de sair de casa pra escola. Mais tarde, quando te busquei tivemos uma conversa:

- Filho, o que foi que aconteceu hoje na hora de sair?
- Eu fiquei nervoso por causa do videogame.
- ficou nervoso com quem?
- com a mamãe.
- E o que eu tenho a ver com isso?
- nada...

Depois de pensar um pouco:
- É, eu acho melhor eu parar de jogar tanto videogame e ir viver a vida!

<3